Legionella: a “pandemia silenciosa”

Durante a pandemia COVID-19, é provável que muitas pessoas se tenham esquecido da Legionella, já descrita por alguns como uma “pandemia silenciosa”. Embora o foco de muitas autoridades de saúde tenha sido reagir e reduzir o impacto da COVID-19, a nova vaga de trabalhadores remotos apresenta um risco acrescido para o crescimento de bactérias Legionella em torres de arrefecimento, e aquando o seu regresso ao local de trabalho.

As bactérias desenvolvem-se em sistemas de água estagnada, onde a monitorização, limpeza e manutenção regulares reduziriam ou removeriam significativamente as suas populações. Na luta contra a COVID-19, é provável que os planos para a gestão da Legionella tenham sido postos de parte.  A prova disso tem surgido nos últimos meses com o retorno de muitos funcionários aos seus locais de trabalho.

Caso de estudo – deteção de Legionella

Nos Estados Unidos a bactéria Legionella foi detetada em edifícios alugados por uma autoridade de saúde. A bactéria foi descoberta numa torre de arrefecimento, além de outros  pontos de água. Por precaução, os edifícios foram fechados até que a devida manutenção fosse executada, não havendo nenhum caso de doença entre os funcionários. Isto apenas mostra que mesmo a principal autoridade de saúde do país, especialista em prevenção de doenças, não está imune a doenças infeciosas. Um dos principais problemas ao lidar com a Legionella, é que as bactérias estão omnipresentes no nosso ambiente, em qualquer local onde haja água doce. Significa que estão presentes naturalmente na água doce usada por sistemas comerciais e municipais. Em concentração baixa  e com limpeza e testes adequados, a Legionella não representa um risco para os seres humanos. É quando as populações crescem que aumenta o risco de um surto infecioso em humanos.

Vários países começam a perceber que a Legionella representa um risco para os cidadãos, especialmente com a infraestrutura envelhecida presente em muitas vilas e cidades. Por exemplo, nos EUA, já existem novas regras e requisitos relativos à mitigação do risco de Legionella.

Para ajudar proprietários e gestores de condomínios e edifícios a avaliar os seus sistemas de água para determinar se é necessário um plano de monitorização de Legionella, temos várias soluções disponíveis que vão desde a consultoria e avaliação de risco Legionella (pode consultar aqui) até à sua monitorização através da avaliação de risco utilizando o kit de ATP de 2ª geração ou mesmo a deteção de Legionella spp em campo com o GeneCount.

Os nossos parceiros LuminUltra oferecem uma solução de teste de Legionella com os produtos GeneCount. Essa combinação de kits de teste, instrumentação e software permite que os utilizadores avaliem a concentração de Legionella nos seus sistemas de água em menos de duas horas por qPCR. Somos os únicos representantes oficiais da LuminUltra em Portugal, contacte-nos hoje.

CONTACTE-NOS