fbpx
AVALIAÇÃO DE RISCO LEGIONELLA

LEGIONELLA: CONSULTORIA E MONITORIZAÇÃO MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA NO LOCAL

  • AVALIAÇÃO DE RISCO DE LEGIONELLA em instalações prediais complexas.  Identificação dos pontos de risco da instalação e recomendação das medidas de prevenção de acordo  com as boas práticas de controlo de Legionella e avaliação de risco praticadas no Reino Unido, código L8 intitulado “Doença dos legionários: O controle de Legionella em sistemas de água”, norma britânica BS8580:2010 assim como as recomendações da Direção Geral de Saúde em Portugal.
  • PLANO DE AUTOCONTROLO para fiscalização e monitorização dos pontos críticos.
  • FORMAÇÃO SOBRE PREVENÇÃO E CONTROLO DE LEGIONELLA serviço disponível brevemente.

A TECNOLOGIA PARA ANÁLISE E MONITORIZAÇÃO DE RISCO

PARA UMA MONITORIZAÇÃO CONTÍNUA DA QUALIDADE DA ÁGUA

Para ajudar os operadores a monitorizar a qualidade da água do sistema, a WASE® tem disponível uma ferramenta analítica baseada na segunda geração de medição de ATP (2ª Geração ATP® da LuminUltra).
Esta tecnologia é ideal para avaliação de risco Legionella e foi otimizada tendo em conta diferentes tipos de água:

Água para
consumo humano

Água para higiene
e cuidados de saúde

Águas de torres
de arrefecimento

Este kit tem diversas aplicações na medicina, saúde e bem estar e, em particular, no contexto da prevenção das infecções nosocomiais.

VANTAGENS

Aplicação no terreno

Resultado em minutos

Elevado desempenho para deteção microbiológica em locais estratégicos da instalação

Essencial em planos de prevenção e avaliação de risco Legionella

A WASE oferece este serviço nas suas avaliações de risco, se assim for solicitado.

Com este método é possível tomar decisões preventivas de mitigação do risco de Legionella e outros microrganismos patogénicos, ficando assim garantido uma água segura.

É exigido em Portugal, que “qualquer caso notificado de Doença dos Legionários deve ser alvo de uma investigação epidemiológica, incluindo um estudo ambiental completo de possíveis fontes de infecção (…)nomeadamente se a fonte de infecção for um equipamento de utilização colectiva” (Circular normativa, de 22 de Abril de 2004, Direcção Geral de Saúde).
Temos a solução certa para si!